Banner Movimento Internacional pelos RiosBanner GeoprocessamentoBanner Biblioteca Virtual


Últimas Notícias

Futuros médicos vão a campo vivenciar o atendimento à população

Foi realizada na segunda-feira (02 de abril), uma apresentação da história do Internato Rural e do Projeto Manuelzão a mais um grupo de alunos do curso de medicina da UFMG.

Assessoria

Os estudantes presentes, cerca de 22, atuarão em 12 cidades pertencentes à Bacia Hidrográfica do Rio das Velhas por três meses para cumprir a disciplina obrigatória do 11º período da graduação.  Nesse tempo, eles irão trabalhar junto às equipes de saúde da família de cada município, para praticar os ensinamentos teóricos e colaborar com a qualidade de vida da população usuária dos serviços de saúde pública.

 

Em consonância com a proposta do Projeto Manuelzão, o Internato Rural, chamado atualmente por Internato em Saúde Coletiva, presta às comunidades beneficiadas um modelo de medicina baseado mais na prevenção do que na medicalização. Segundo Marcus Vinícius Polignano, coordenador do Manuelzão, o trabalho desenvolvido por ambos os projetos “é de extrema importância para a construção de um novo modelo social ambientalmente mais equilibrado, economicamente mais justo e sustentável, democraticamente mais participativo e consequentemente muito mais saudável”.

 

Os atendimentos à população do entorno do Rio das Velhas são feitos sob a coordenação dos professores Berenice de Oliveira, Tomaz G da Matta Machado, Marcus Vinicius Poilgnano e Tarcísio Magalhães Pinheiro. Eles pontuaram aos estudantes que, embora não tenham autonomia total no atendimento, possuem uma grande capacidade de acolhimento ao paciente. Para Polignano, esse é um ponto muito positivo. A paciência e parcimônia lhes garantem um grande diferencial”.  

 

A graduanda Carla Câmara Moreira, aluna designada para atender em Conceição da Barra de Minas, conta que desde que entrou na faculdade sonha com o momento em que iria para o Internato. “Acredito que a experiência seja rica e sei que será completamente diferente das outras práticas. Poderemos ter contato com o paciente, no ambiente dele, o que nos proporcionará um crescimento muito grande”.

 

 

Histórico

O Internato teve seu início na década 1970 com a proposta de estreitar as relações entre a medicina e a sociedade. A ideia era formar profissionais aptos a prestar assistência primária de saúde  e ao exercício da medicina comunitária.

Em meados da década de 1980, o Internato reformulou seus objetivos. A experiência mostrou a necessidade de uma visão mais ampla  do que o modelo de medicina predominantemente assistencialista praticado.

 

Uma medicina preventiva e abrangente passaria a ser desenvolvida pelo programa. Baseada na situação social da população e a sua relação com o meio ambiente, foram criadas ações integradas entre o poder público, a academia, a sociedade civil e setor privado. Era preciso educar, era preciso cuidar, era preciso revitalizar, era preciso lutar! 

 

Em 1996, foi criado o Projeto Manuelzão com a pretensão de promover qualidade de vida às pessoas e a saúde da natureza. Durante a apresentação, O Manuelzão foi apresentado aos acadêmicos por Polignano, que coordena o Projeto.   Ele falou sobre o trabalho desenvolvido ao longo de 40 anos e sua relevância para a sociedade e para a sobrevivência da natureza.

 

 

 

 


Por: Assessoria de comunicação

Publicado em: 09/04/2018